URGENTE: Professores grevistas de fome são agredidos pela Tropa de Choque de forma COVARDE!

tropa de choque da PM acaba de invadir a Assembléia Legislativa e espancou vários manifestantes, inclusive os professores que se encontram em greve de fome.
VERGONHA!
ESTADO? POLÍCIA? PRA QUEM PRECISA?

Polícia
Titãs

Dizem que ela existe
Prá ajudar!
Dizem que ela existe
Prá proteger!
Eu sei que ela pode
Te parar!
Eu sei que ela pode
Te prender!…

Polícia!
Para quem precisa
Polícia!
Para quem precisa
De polícia…(2x)

Dizem prá você
Obedecer!
Dizem prá você
Responder!
Dizem prá você
Cooperar!
Dizem prá você
Respeitar!…

Polícia!
Para quem precisa
Polícia!
Para quem precisa
De polícia…(2x)

Seção Sindical do ANDES – Sindicato Nacional

Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual Vale do Acaraú – SS ANDES

Av. da Universidade, 850 – Campos da Betânia – CEP: 62040-370 – Sobral-CE

É com profunda satisfação política e acadêmica que anunciamos uma importantíssima vitória do movimento promovido pelo SINDIUVA e amplamente apoiado pelas entidades estudantis: a REVOGAÇÃO Oficial das Resoluções 001/2007-CEPE e 002/2010-CEPE que regulamentavam a contratação de Professores Colaboradores pela UVA.

Em Audiência realizada dia 22 deste (quinta-feira passada) às 14h, na Procuradoria do Trabalho, estavam presentes: a Procuradora Dra. Ana Valéria Targino de Vasconcelos; a Diretoria do SINDIUVA (e seu assessor jurídico Dr. Francisco Cláudio O. Silva Filho); a Diretoria do DCE (Estudantes José Hilco C. Santos e Manoel Henrique N. Fonseca) e; o Reitor da UVA, Prof. Antônio Colaço Martins (e assessor jurídico Dr. Emmanuel Pinto Carneiro), para tratar da Ilegalidade da Contratação de Docente sem Concurso Público (“Professor Colaborador”) pela UVA, denunciada pelo SINDIUVA.

Na referida audiência, o Reitor apresentou a Resolução Nº 034/2011 – CEPE, votada em 04 de agosto de 2011, que revoga as resoluções anteriores (001/2007-CEPE e 002/2010-CEPE) e entrará em vigor no dia 02 de janeiro de 2012.

A UVA a partir dessa data, não mais cometerá a ilegalidade e a má conduta de inserir em seu quadro de servidores, docentes temporários contratados sem concurso público, sem critérios democráticos, transparentes e isonômicos e totalmente precarizados em seus direitos trabalhistas.

É o fim de uma aberração, principalmente por se tratar de uma Instituição de Ensino, que deveria zelar pela legalidade, pelo profissional do magistério e pela qualidade do ensino. A aprovação de resoluções como as 001/2007 e 002/2010, a morosidade e a relutância em revogá-las, nos faz questionar:

Se as resoluções ilegais, acima citadas, foram aprovadas pelo CEPE, qual está sendo o verdadeiro papel desse conselho nas políticas estabelecidas pela UVA?
E ainda, como está ocorrendo o processo de escolha dos conselheiros que compõem o CEPE e o CONSUNI?
Esses conselheiros estão representado a quem? Estão levando as pautas encaminhadas nesses conselhos para serem discutidas em seus colegiados de curso e centro para, a partir daí, votarem referendando suas pressupostas bases acadêmicas? Estão representando a si mesmos ou a interesses de outrem (seja pelo voto ou pela omissão de suas funções) ou a vontade coletiva para o qual foi “eleito”?
O “eleito” entre aspas diz respeito ao processo de eleição dos conselheiros, basta vermos o recém-divulgado Edital 03/2011 do Centro de Ciências Humanas para as inscrições e eleição de seus representantes docentes junto ao Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CEPE e Conselho Universitário – CONSUNI: o edital foi divulgado dia 20 de setembro, determinando que as inscrições de candidatos se dariam nos dias 21 e 22 do mesmo e a eleição no dia 28! Ou seja, divulga-se o edital num dia, iniciam-se as inscrições imediatamente no dia seguinte, as quais se encerram no segundo dia e as eleições ocorrem seis dias após!
Aí está a resposta para os questionamentos dos itens 1, 2 e 3. A farsa do processo “democrático e representativo” de escolha, de eleição daqueles que compõem os conselhos que legalizam/aprovam as deliberações administrativas e políticas da reitoria e seu staff! Tudo aos moldes e em perfeita sintonia com os procedimentos de eleição para Reitor e Vice-Reitor e escolha Diretor e Vice-Diretor de Centro;
Processos relâmpagos, sem tempo para discussão, sem tempo para articulação de nomes por parte dos colegiados de curso, sem tempo para que o candidato exponha seus motivos e ideias de candidatura, sem tempo para um autêntico processo representativo, democrático e verdadeiramente legitimado pela base docente.

Foi dessa forma sub-reptícia que nossa universidade passou de “Instituição Pública de Direito Público” para “de Direito Privado”! Que “parcerias” com institutos são estabelecidas! Que a escolha de vice-reitor se dá independente da escolha de reitor! Que a Administração Superior ao invés de fortalecer a luta por concurso público para professor e pessoal técnico-administrativo, como estão fazendo os reitores da UECE e URCA, dá “um jeitinho e inventa” “categoria nova” de docente, terceiriza funcionários e explora a força de trabalho estudantil.

E para que a UVA não seja mais mentora e pioneira em aberrações/mazelas político-administrativas – que só prejudicam a sua consolidação acadêmica, impedem a efetivação de sua real função social, mancham sua história institucional e nos envergonham diante das demais IES – devemos lutar por revisão e mudanças radicais em seu estatuto/regimento, por eleições diretas e paritárias para reitor, vice-reitor, diretor de centro e coordenador de curso.

COMEMOREMOS, POIS VENCEMOS UMA IMPORTANTE BATALHA! MAS, A LUTA CONTINUA! TEMOS MUITO TRABALHO PELA FRENTE!

Diretoria do SINDIUVA

Reunião com o REItor.

Sexta-feira (23/09) houve uma reunião entre o Diretório Central dos Estudantes (DCE) com o Reitor da Universidade para tratar do assunto

Mais uma vez a discussão sobre a construção dos tão sonhados e almejados restaurante e residência universitária foram pautas debatidas entre os membros do DCE com a reitoria da universidade. Dessa vez, o reitor que tardiamente nos atendeu, esteve na reunião más para escutar do que para explicar, sendo que sua presença nada mais é do que “ouvidoria do estado”.

Terminando setembro e somente agora a reitoria nos atendeu, e mais uma vez impera a repetição da ladainha “histórica” sobre o projeto de construção de um restaurante que contemple também os estudantes da UFC e do IFCE em conjunto com os estudantes da UVA, a mesmice que não sai do papel. Desse projeto pretencioso da SECITECE todos nós já sabemos, porém a demora e burocracia é o que impera. Além disso surge a discussão: QUAL O PORQUE DE CONSTRUIR UM RESTAURANTE EM CONJUNTO PARA AS TRÊS INSTITUIÇÕES? SERÁ QUE OS ESTUDANTES DA UVA NÃO MERECEM O SEU PRÓPRIO RESTAURANTE? SERÁ QUE ESTE RESTAURANTE CONTEMPLARÁ (ATENDERÁ) A TODOS DAS TRÊS INSTITUIÇÕES?

Nem imagino como deve ser a fila para as refeições, nem mesmo do fluxo de pessoas, só entendo que dessa forma este restaurante ficará mais agitado que o mercado! Solicito ao leitor que reflita sobre essa deliberação, e que imagine como será e como atenderá este restaurante, sendo que um restaurante mau serve a uma instituição, imagine três! É preciso imaginar que nós merecemos respeito e consideração, assim como os estudantes da UFC e do IFCE, que também devem refletir sobre o mesmo. Merecemos qualidade e queremos bons serviços, será que nem para isso a UVA tem autonomia?

Referente á residência universitária o reitor coloca que é questão de orçamento e nos oferece esmolas com bolsas de estudos como o PBU, que não paga nem nossas xérox direito, e que além do mais não atende nem a 10% dos estudantes! Sabemos da “guerra” que existe dos alugueis de apartamentos em Sobral, a imensa especulação imobiliária e a resistência dos donos de aluguéis, más que cidade universitária é essa que os estudantes não tem nem R.U´s? Querem nos iludir com incentivos que na verdade é uma enganação!

É um desrespeito o que estão fazendo com a Universidade Estadual Vale do Acaraú, e o nosso magnífico reitor nada fala, nada faz, só escuta e balança a cabeça, verdadeiro “calango” do poder do estado. Porém, nós do DCE esperamos e solicitamos a opinião dos estudantes, dependendo da resposta iremos lutar pelo o que é nosso de direito. Solicite seu centro acadêmico (CA) e dê seu parecer.

Eduardo Marques
Diretório Central dos Estudantes DCE-UEVA

Alunos da UVA protestam

Sobral. Os alunos da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) protestaram, ontem, contra a falta de restaurante universitário na instituição. Eles improvisaram um almoço na entrada do campus da Betânia, com direito a macarrão instantâneo, banana, suco, pão e raspa de coco. Comandados pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE), os alunos cobraram da Reitoria a imediata construção do equipamento.

“A UVA já vai para mais de 40 anos de fundação e nunca teve um restaurante universitário”, lamenta o diretor de Assuntos Estudantis do DCE, Manoel Henrique, estudante do curso de Ciências Contábeis. Com megafone na mão, ele conclamava os alunos a participar do protesto e convidava para a “inauguração” do RU improvisado.

Os estudantes denunciam que não têm aonde comer. “A Reitoria nos ofereceu um auxílio-alimentação. Não queremos esmola. Queremos um restaurante universitário para uma comunidade acadêmica de mais de nove mil alunos”, salienta Manoel Henrique, que alega que a orientação da UVA é que os alunos se dirijam ao Restaurante Popular de Sobral. “Só que este restaurante é longe da UVA e é dirigido para os trabalhadores, e não para os estudantes”, acrescenta.

O reitor da UVA, Antônio Colaço, diz que espera até o fim deste mês uma resposta da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Secitece) sobre a construção de um grande Restaurante Universitário para atender a UVA, o campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) e o Instituto Federal de Educação (IFCE).

Outra alternativa é a construção de um RU próprio, mas que depende do orçamento. Colaço informa que a UVA distribui 200 bolsas para custear a alimentação e moradia de alunos carentes. “É uma ajuda de R$ 150,00 por três horas de trabalho e R$ 300,00 por seis horas”.

Fonte: Diário do Nordeste

http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1044992

IV Semana de Direito da UVA

IV Semana do Direito-UVA
Tema: “Os Aspecto Processuais e Materiais da Tutela Ambiental do Ordenamento Jurídico Brasileiro.”:
Palestrante: Dr. Guimarães
Tema: “Responsabilidade Social Coorporativa: Debates e Modelos Integrando Empresas, Governo e Sociedade.”.
Palestrante: Mônica Sá de Abreu
Debatedor: Dr. Francisco Guedes.
Tema: “A Evolução da Política Criminal e o novo Tribunal do Júri no Brasil.”
Palestrante: Desembargador Jucid Amaral Peixoto.
Tema: “Conjuntura Política e Econômica Brasileira”.
Palestrante: Dr. Ciro Ferreira Gomes.
Tema: “Reflexões Sobre o Direto Penal Contemporâneo”
Palestrante: Leandro Vasques.
Debatedor: Dr. Alexandre Pinto.
Tema: “OAB e Advocacia”.
Debatedor: Dr. José Inácio Linhares.
Tema: “Direitos Humanos no Ceará.”.
Palestrante: Marcelo Uchôa.
Tema: “A Nova Jurisdição Constitucional Brasileira: Possibilidades e Limites.”.
Palestrante: Marco Marrafon
Tema: “Negociação Coletiva e Flexibilização das Normas Legais Trabalhistas.”.
Palestrante: Dr. Judicael Sudário.
Debatedor: Dr. Antônio de Pádua.
Tema: “Garantia das Formas no Direito Processual Penal.”.
Palestrante: Dr. Rosmar Antonni.
Debatedor: Dr. Roque Hudson.
Tema: “Alguns Contornos das Uniões Homoafetivas no Direito Brasileiro”.
Palestrante: Dra. Emanuela Leite.
Debatedor: Dr. David Gomes.
Tema: “O Novo Código de Processo Penal”.
Palestrante: Paulo Quezado.
Debatedor: Dr. Rômulo Linhares.
Inscrições até 23 de setembro.
Valores: Estudantes R$ 40,00 – Profissionais R$ 70,00.
Informações: Coordenação do curso de direito: 3611-6374 ou pelos telefones: 8851-3238, 9246-6668, 9701-6390.

Finalmente Cid Gomes negociará com professores

O governador do estado, Cid Gomes, cancelou viagem a Cuba e vai retornar de Brasília para negociar com os professores da rede estadual, que estão em greve desde o último dia 5 de agosto. A rodada de negociação será, amanhã (22), no Palácio da Abolição, em Fortaleza. Dez representantes do Sindicato Apeoc vão participar da reunião com Cid Gomes. A negociação foi intermediada pelo presidente da Assembléia Legislativa, Roberto Cláudio.

Os Agrotóxicos e a Questão agrária no Ceará

Dia 29 de Setembro de 2011 às 19hs. No auditório Milton Santos – CCH, Campus do Junco – UVA

Palestrantes:

– Aldiva Sales Diniz (Profa. Curso de Geografia – UVA)
– Cláudio Silva (Rede Nacional de Advogados Populares – RENAP / Militante da Consulta Popular)

Organização:

Laboratório de Estudos Ambientais – LEA/UVA
Laboratório de Geografia Agrária / UVA
Centro Acadêmico de Geografia – CAGEO

Apoio:

Diretório Central dos Estudantes – DCE
SINDIUVA
Cáritas Diocesana de Sobral

Repercussão da manifestação dos estudantes de Alcântaras

Como postado , a mobilização dos estudantes de Alcântaras por melhorias do transporte universitário, tomou uma grande repercussão, de forma que a TV Verdes Mares foi até a cidade serrana fazer uma matéria para “escancarar” a realidade que muitos já sabem, transportes precários, sem condições de deslocamento seguro pondo em risco a vida de estudantes todos os dias, como infelizmente aconteceu com a Silvana e a Vanessa, estudantes da cidade de Acaraú vítimas daquela tragédia de semanas atrás.

Abaixo, o link da reportagem em Alcântaras veiculado no telejornal CE TV:

http://g1.globo.com/videos/ceara/v/estudantes-de-alcantaras-denunciam-condicoes-precarias-de-onibus-escolar/1635212/

Cordel para Cid Gomes

Autor: Prof. Francinilto Almeida – Tabuleiro do Norte-CE)

1.
Em discursos de políticos
Há certas prioridades
Dentre as quais EDUCAÇÃO
Incluem essas “beldades”
Mas o que se vê de fato
É um grande desacato
Recheado de maldades.

2.
O Piso do Magistério
Como Lei Nacional
Surgiu em 2009
Regra Constitucional
Mas alguns governadores
“Amigos” dos professores
Buscaram o Tribunal.

3.
Entretanto o STF
Com visão mais ampliada
Disse “Não!” aos “amiguinhos”
Daquela grande empreitada
O Piso Salarial
Já é Lei Nacional
Precisa ser respeitada.

4.
Mas não é isso o que vemos
Garanto, posso afirmar.
Sou professor e me negam
Essa Lei tão exemplar
São interesses mesquinhos
Desses nossos “amiguinhos”
Que brincam de governar.

5.
Dos Estados do Nordeste
É somente o Ceará
Que desobedece o Piso
E fica no deus-dará
Pois o Sr. Cid Gomes
É um dos ilustres nomes
Que contra essa Lei está.

6.
E como se não bastasse
Andando na contramão
Ele fica com gracinhas
Sem a menor atração
Nem percebe o desmantelo
Devido à falta de zelo
Com a “pobre” Educação.

7.
Nunca se viu nesse Estado
Um jogo tão inclemente:
Dividiu-se a Escola Pública
Da forma mais indecente
Uns são privilegiados
Ricamente bem tratados
Inscrição: SOU COMPETENTE.

8.
No lado esquerdo, porém
Estão os discriminados…
Tentaram, fizeram testes…
Mas foram, sim, reprovados.
Então não podem tocar
Desse mais fino manjar
Dos “deuses” bem educados.

9.
E são dois tipos de IMPOSTOS?
Eu me ponho a perguntar.
Por que este é escolhido
Sem que aquele possa entrar?
Uns têm muitas regalias
Sentem-se reis em folias,
Outros vivem a penar.

10.
Denuncio com firmeza
Esse abuso insolente
Minha escola, lado-a-lado
De uma ESCOLA COMPETENTE
Não temos quadra, sequer
Nós somos, sim, da ralé
Inscrição: INCOMPETENTE.

11.
Será que existe algum pai
Alguma mãe tão sofrida
Que não queiram profissão
Nessa amargurada vida
Para os seus filhos amados
De novo assim massacrados
Por uma regra indevida?
12.
Isso tudo só se dá
Para efeito camuflado
Pois nosso Governador
O que quer é resultado
As escolas oprimidas
Por certo serão supridas
Pelas do “recheio” amado.

13.
Não somos contra as escolas
Que ensinam a profissão.
Estamos insatisfeitos
Com a discriminação
Os direitos são iguais
Ninguém é menos nem mais
Em termos de educação.

14.
Além dessas injustiças
Sem cumprir a Lei do Piso
O professor corre o risco
De também perder o siso
Pois nosso Governador
Aumentando a nossa dor
Acha mesmo que é preciso.

15.
“Ensina quem tem amor”
“Nem carreira existiria”
“Por que fizeram concurso?”
São frases de maestria
Que o nosso Governador
Com carinho e com amor
Solta a plena luz do dia.

16.
E Vossa Excelência diz:
“Ensina quem tem amor…”
Pois é isto o que não falta
Na vida de um professor
O que falta é dignidade
Por parte da autoridade
Isto, sim, Governador.

17.
Não sabe Vossa Excelência
A rotina que mantém
Um professor que se preza
Na carreira que convém
Somente com muito amor
Mesmo com o Governador
Sugando o pouco que tem.

18.
Esse desprezo que vemos
Com palavras tão cruéis
Mostra a sua ingratidão
Com profissionais fiéis
Pois professor é amigo
É pai, é mãe é abrigo…
São muitos os seus papéis.

19.
São eles no dia a dia
Dando exemplos de bondade
Moldando comportamentos
Encaminhando à verdade
Ensinando o bem viver
Fazendo o país crescer
Erguendo a humanidade.

20.
Vossa Excelência não sabe
A sobrecarga que tem
Uma professora-mãe
Guerreira como ninguém
Depois de longa jornada
Assiste à família amada
Disposta como convém.

21.
Quantos professores vivem
Sem dispor de um bom lazer
Pois são tantas as tarefas
Restando para fazer
Isto porque nossas leis
Não nos dão a voz e vez
Para o quadro reverter.

22
Quem é que nesse mundo
Progride sem professor?
Que mundo pode existir
Sem a profissão do amor?
Será que Vossa Excelência
Nunca sofreu influência
De um deles, Governador?

23.
Nós queremos mais respeito
Com a nossa profissão
Ela é quem muda os rumos
Dessa e de qualquer nação
Só alguém estabanado
Olha bem desconfiado
Pra SENHORA EDUCAÇÃO.

24
Ela rege o Universo
Faz conquistas envolventes
Muda qualquer panorama
Deixa as coisas diferentes…
Se não há educação
Não existe evolução
Seremos, sim, indigentes.

25.
Será que é muito difícil
Perceber nosso valor?
Educação é a base
Digo isso aonde eu for
Sem a nossa profissão
Não existia outra, não
Sequer de Governador.

– FIM –